Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SAPO Zen

Biodanza, 6

Dançando para ser feliz.
 O sistema Biodanza foi desenvolvido nos anos 60 por Rolando Toro Araneda, docente das disciplinas de Psicopatologia da Arte, Psicologia da Expressão e Criatividade no Instituto de Estética da Pontifícia Universidade Católica de Santiago do Chile, e membro docente do Centro de Antropologia Médica da Escola da Universidade do Chile. Quando desenvolvia um trabalho de pesquisa em um Hospital Psiquiátrico em Santiago com um grupo de pessoas, Rolando Toro resolveu testar um método não convencional – a dança, e verificou que os pacientes apresentavam uma enorme melhora a todos os níveis.
“ Eles estavam tão deprimidos que decidi fazê-los dançar um pouco. A resposta foi surpreendente, muito mais rápida e efectiva do que qualquer outra linha terapêutica”, conta o antropólogo que a partir daí fundamentou seu método em bases teóricas.
Portanto podemos dizer que a Biodanza baseia-se na força da música e da dança.
Segundo Toro a Biodanza destina-se principalmente aos que têm dificuldade de contacto, de comunicação e de afectividade com o próximo. E ajuda a resgatar o que de mais genuíno existe em nós.. “ E a música é excelente para isso, porque não passa pelo mental, vai directo para o emocional”, afirma Rolando Toro.
Na verdade , sem dúvida nenhuma, a Biodanza ajuda o ser humano conhecer-se melhor, e sobretudo, a aceitar-se ficando mais aberto , com a auto-estima em alta, enfim com toda as potencialidades para ser mais e melhor.
No meu entender a Biodanza funciona como uma espécie de exorcismo dos nossos medos, das limitações que nos são impostas pela sociedade, pelo meio familiar, enfim pelas bitolas a que nos submetem desde a mais tenra idade. Tudo na base do “está calada!, “Este miúdo não sabe estar parado!” “Homem que é homem não chora, não mostra sentimentos nem fraqueza…” E assim vamos ficando paralíticos por via das nossas repressões, medos e inseguranças. Reféns metidos dentro de uma carapaça. Queremos o outro mas não sabemos lá chegar. Queremos ser outros mas sem saber como e porque.
Assim a Biodanza ajuda a libertar amarras, romper barreiras , aproximar-nos mais do outro e sobretudo de nós mesmos. Enfim uma excelente ferramenta para o crescimento de cada um.
Heloisa Miranda
sapozen@sapo.pt
O Convidado:
Nuno Pinto  é  Facilitador Titulado pela International Biocentric Foundation
Professor Adjunto da Escola de Biodanza SRT do Porto
Titulado pela International Biocentric Foundation

Contactos:
Tel. 00 351 962 894 374 / 00 351 969 462 374

Mail:biodanzanunopinto@sapo.pt
Site: www.biodanzanunopinto.com